Arquivo da Tag: humor

Matemáticos

Dois homens que faziam uma viagem de balão perdem-se no meio do deserto. Vêem um indivíduo a meditar à sombra de uma palmeira e perguntam-lhe:

– Por favor, pode-nos dizer onde estamos?

Após um longo momento de reflexão, o homem responde:

– Num balão.

– Muito obrigado, senhor matemático.

O homem pergunta então intrigado:

– Como sabem que sou matemático?

Respondem os homens que iam no balão:

– Por três razões. Primeiro, reflectiu bastante antes de nos responder. Segundo, porque a sua resposta estava muito exacta. E terceiro, porque não nos serve de nada.

O idiota e a moeda

Conta-se que numa cidade do interior um grupo de pessoas se divertia com o idiota da aldeia. Um pobre coitado, de pouca inteligência, vivia de pequenos biscates e esmolas. Diariamente eles chamavam o idiota ao bar onde se reuniam e ofereciam a ele a escolha entre duas moedas: uma grande de 400 REIS e outra menor, de 2000 REIS. Ele escolhia sempre a maior e menos valiosa, o que era motivo de risos para todos. Certo dia, um dos membros do grupo chamou-o e perguntou-lhe se ainda não havia percebido que a moeda maior valia menos.

Respondeu o tolo: – Eu sei, ela vale cinco vezes menos, mas no dia que eu escolher a outra, a brincadeira acaba e não vou mais ganhar a minha moeda.

“O maior prazer de um homem inteligente é armar-se em idiota diante de um idiota que se arma em inteligente”.

Fonte

Saber negociar…

Jacob, um negociador ‘sangue frio’, diz a seu filho:
– Filho, escolhi com quem te deves casar.
– Mas pai, eu quero escolher a minha própria noiva.
– Quero que cases com a filha do Bill Gates.
– Bom, nesse caso…

Jacob então telefona para Bill Gates, dizendo:
– Bill, Tenho aqui um jovem que quer casar com a sua filha.
– O quê?! Isto é um absurdo! A minha filha é muito jovem para se casar!
– Mas este jovem é vice-presidente do World Bank.
– Bom, nesse caso…

Jacob telefona então para o presidente do World Bank:
– James, tenho um jovem aqui que é um excelente candidato para vice-presidente do World Bank.
– Vice-presidente?! Mas eu já tenho tantos vice-presidentes!
– Ele é genro do Bill Gates.
– Bom, nesse caso…

Se a MicroSoft fabricasse automóveis…

  • Um modelo de automóvel de um determinado ano só estaria disponível no ano seguinte.
  • Sempre que o tracejado das estradas fosse pintado de novo ou os sinais de trânsito fossem alterados, seria necessário trocar de carro.
  • De vez em quando, o carro pura e simplesmente deixaria de funcionar e seria necessário pô-lo novamente a trabalhar. Por qualquer razão estranha, nós acharíamos isso normal.
  • Só poderíamos ter uma pessoa no carro de cada vez, a menos que possuíssemos um Automóvel 95 ou um Automóvel NT. Mas, nesse caso, teríamos de comprar mais assentos.
  • A Sun Motorsystems produziria um automóvel movido a energia solar, duas vezes mais fiável e cinco vezes mais rápido, mas só conseguia andar em 5% das estradas.
  • As luzes de aviso do óleo, da temperatura do motor, do nível da gasolina e da bateria seriam substituídas por uma única luz de aviso rotulada de “General Car Fault”. O condutor é que teria de adivinhar o problema…
  • As pessoas ficariam entusiasmadas com as “novas” capacidades dos carros Microsoft, apesar de estarem disponíveis noutras marcas desde há anos.
  • De tempos a tempos, ao fazer uma manobra, o motor pararia e não voltaria a arrancar. Haveria então que reinstalar o motor.
  • Teríamos todos de mudar para gasolina e óleo Microsoft, sob pena de correr o risco de se ficar parado.
  • O air bag perguntaria ao condutor “Tem a certeza?” antes de começar a encher.
  • Para evitar que mudasse-mos de marca de carro, a Microsoft ofereceria todos os anos um novo conjunto de pneus Explorer gratuitamente.
  • Os automóveis Microsoft seriam vendidos de forma standard com um auto rádio leitor de cassetes que só permitiria ler cassetes Microsoft e que só captaria a frequência Microsoft FM.

Turismo eleitoral

Gostei desta expressão que encontrei no Abrupto. Realmente os políticos não param de nos surpreender.  Ir buscar pessoas de fora do concelho para apoiarem o candidato do partido à Câmara Municipal de Lisboa mostra bem o estado a que chegamos… O melhor de tudo ainda é encontrar pessoas que nem sabiam o que lá estavam a fazer.

A TVI no seu melhor…

Recentemente a TVI, como não tinha mais nada para passar num dos seus serviços informativos, resolveu fazer uma reportagem sobre hackers. Depois de tanto ouvir falar dessa reportagem na net, lá resolvi fazer o download da reportagem e vê-la. Devo dizer que foi das reportagens mais ridículas que já vi, e que põe uma pessoa a pensar se aquilo é um programa de informação ou de comédia.

A parte mais interessante é que, depois de ser ridicularizado na net, um dos tipos que aparece na reportagem, afirma ter sido pago para dizer o que disse, ou seja, para dizer que fazia coisas que na verdade não sabia fazer, o que mostra o tipo de jornalismo que a TVI faz.

Quem quiser ver a reportagem pode encontrá-la aqui: Parte 1 / Parte 2

Bem, pelo menos ainda dá para uma pessoa se rir um bocado e, com um pouco de sorte, foi capaz de deixar algumas pessoas a pensar em ter mais cuidado quando andam na net.

PS: como se já não bastasse a TVI, o CM também resolveu fazer uma entrevista ao pseudo-hacker, mais uma grande obra de jornalismo (http://www.correiodamanha.pt/noticia.asp?id=151936).