Avaliação de Websites: Algumas Ferramentas Úteis

Depois de se construir um website, é conveniente fazer alguns teste, e verificar se está tudo em ordem, ou o que ainda pode ser melhorado. Desde validar o código HTML, até verificar se o desempenho das páginas é razoável, há várias coisas que se podem fazer. Ficam então aqui algumas ferramentas que podem ser úteis neste processo.

Ferramentas do W3C

O W3C fornece um conjunto de ferramentas de validação para avaliar a qualidade de um website. Entre essas ferramentas estão o Unicorn, que permite verificar se algumas das tecnologias usadas num website (HTML, CSS, Atom, etc.) estão de acordo com os standards. Temos também o Link Checker, que permite encontrar links inválidos. Ambas são ferramentas disponíveis online, e que não requerem instalação software.

Adicionalmente, podemos também usar o W3C::LogValidator, um conjunto módulos Perl que nos permitem correr as ferramentas de validação nos nossos PCs. Esta solução será particularmente útil para quem mantém websites de alguma dimensão. Pessoalmente, só experimentei o módulo para verificar links inválidos (e que me permitiu encontrar alguns erros que não tinha encontrado com a ferramenta online).

Acessibilidade

Ao nível de verificação de normas de acessibilidade, as melhores ferramentas que encontrei foram o WAVE e o AChecker.

O WAVE mostra-nos as páginas que estamos a verificar, com algumas anotações, alertando para problemas, ou potenciais problemas (que devem ser verificados manualmente). Esta ferramenta agradou-me sobretudo pela facilidade em utilizá-la.

Já o AChecker produz um relatório textual, também identificando problemas e aspectos que requerem verificação manual. Uma vantagem do AChecker (relativamente ao WAVE), é que nos permite facilmente consultar a documentação relevante para percebermos melhor os problemas e como o corrigir. Adicionalmente, também me parece mais completo do que o WAVE.

Desempenho

Hoje em dia, com as melhorias na qualidade das ligações à internet, há quem defenda que o desempenho não é propriamente um problema. Ou pelo menos, questões como o tamanho (bytes usados) das páginas, número de imagens usadas (ou até número de ficheiros), e afins, não são muito importantes. Uma das razões para discordar desta visão, é a utilização cada vez maior de internet móvel, onde a largura de banda é muitas vezes um problema.

Para descobrir aspectos a serem optimizados, recorri sobretudo às ferramentas disponibilizadas pelos browsers, nomeadamente o Web Inspector do Safari (que é em tudo semelhante ao do Google Chrome). Em particular, a tab Audits indica-nos vários aspectos que podem ser melhorados, como a utilização de compressão e caches, a redução do tamanho de ficheiros (quer ficheiros de texto, como CSS, quer imagens), a redução do número de ficheiros, entre outras coisas.

Outras duas ferramenta semelhantes para este efeito são as extensões para Firefox Page Speed e YSlow, que também me pareceram muito boas (na verdade, até achei estas mais completas do que o Audits).

Outros

Outro aspecto importante para um website é a sua visibilidade em termos de motores de busca. Aqui, ferramentas como o Google Webmaster Tools ou Bing Webmaster Tools, podem ser úteis, permitindo submeter sitemaps, ver erros encontrados no processo de crawling, redireccionar domínios, etc.


Existem certamente muitas outras ferramentas, e provavelmente melhores do que as que indiquei, até porque na minha pesquisa dei preferência a ferramentas gratuitas, e que pudessem ser usadas online. Mesmo assim, acredito que as ferramentas aqui apresentadas podem ser bastante úteis. E é claro, não se esqueçam de uma outra ferramenta também bastante eficaz a detectar problemas: testes manuais em diferentes browsers e sistemas operativos 🙂