“Direito constitucional à não poluição”!?!

Defendendo o direito constitucional à não poluição

Chegado da praia, vejo na SIC um atrasado mental a explicar que destruiu um hectare de milho, cultivado legalmente, porque pretende defender o direito constitucional à não poluição, e que o agricultor nem sequer estava bem consciente daquilo que lá tinha plantado. No fundo, estes vândalos, que pelo que vi na reportagem da SIC e facilmente se constata na foto acima, não tomam um chuveiro desde a Primavera, numa atitude que contribui decisivamente para a poluição visual e para a destruição da camada de ozono, tiveram direito a escolta da GNR, não fosse a população indignar-se. Nada como as nossas polícias, com as suas barrigudinhas figuras, para proteger a integridade física dos violadores da propriedade privada, numa missão de educação do povo.

Perante a apatia das autoridades não se espantem que haja quem fique com vontade de acertar o passo a esta escumalha.

Seguindo a mesma lógica, e tendo em conta que estes tipos pouco mais fazem do que libertar dióxido de carbono para a atmosfera, aqueles que decidissem lhes “acertar o passo” não estariam também apenas a defender “o [seu] direito constitucional à não poluição”?

Como alguém comentou, idiotas de férias…

Uma resposta

  1. sérgio diz:

    Só contribuíram para a descredibilização da causa…

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.